quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Dia Mundial de Luta Contra a AIDS




O dia 1 de dezembro é considerado o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, essa data tem o objetivo de reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV/AIDS. O símbolo deste dia é o laço vermelho o qual simboliza a solidariedade e comprometimento na luta contra a AIDS.
Esse dia para a Organização Mundial de Saúde é uma data para conscientização da população sobre a pandemia de AIDS. O objetivo é motivar as pessoas que são soropositivas, mas que não iniciou o tratamento ou aquela que interrompeu o tratamento, a iniciar ou retornar o uso dos antirretrovirais.
O Ministério da Saúde estima que 734 mil brasileiros vivem com o HIV, sendo que 417 mil pessoas usam os medicamentos antirretrovirais ofertados pela rede pública.  E cerca de 150 mil pessoas convivem com o vírus e não sabem.
Assim é importante cada um fazer a sua parte: previna-se, faça o teste, seja solidário com que tem o HIV, caso você já tenha o HIV cuide-se, tome os medicamentos corretamente, use sempre camisinha e proteja seu parceiro do HIV diminuindo a carga viral.

Mas para quem não sabe o que é AIDS?

Também chamada de Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, ela é um estágio mais avançado da doença que ataca o sistema imunológico a qual é causada pelo vírus HIV. Esse vírus ataca as células de defesa no nosso corpo, o que torna o organismo mais vulnerável a diversas doenças, de um simples resfriado a infecções mais graves.
A forma de saber se você é soropositivo é através da realização de exames como o teste rápido o qual divulga em 30 minutos o resultado, pois permite a detecção de anticorpos anti-HIV na amostra de sangue.
Vale sempre lembrar que a melhor forma de se prevenir é através do uso de camisinha ou preservativo nas relações sexuais, usar objetos perfuro-cortantes descartáveis, mulheres grávidas devem realizar o exame assim que descobrem a gravidez, pois em caso de positivo é realizado tratamento o qual tem o objetivo de evitar a transmissão do vírus para o feto.

Fontes: 
http://www.dst.uff.br/arquivos-htm/bemfam.htm
http://www.aids.gov.br/noticia/2015/vamos-todos-divulgar-o-laco-vermelho-em-dezembro
http://www.aids.gov.br/

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Vem aí : V Simpósio Internacional de Atenção Farmacêutica



Maiores informações em breve ! 

Poluição: causa principal das doenças respiratórias


   A poluição atmosférica encontra-se sempre presente ao longo dos últimos 250 anos, desde a Revolução Industrial que acelerou o processo de emissão de poluentes, nos dias de hoje, cerca de 50% da população mundial vive em cidades e aglomerados urbanos e estão expostas a níveis progressivamente maiores de poluentes do ar.  Aos poluentes emitidos por diferentes fontes dá-se o crédito do aumentos dos sintomas de doenças, da procura por atendimentos em serviços de emergência e do maior número de internações e de óbitos. A exposição recorrente tem contribuído para o aumento do número de casos novos de asma, de doença pulmonar obstrutiva crônica e de câncer de pulmão, nas áreas urbanas e também nas áreas rurais, fazendo com que os poluentes atmosféricos sejam rivais da fumaça do tabaco no papel de fator de risco para doenças pulmonares.
Segundo dados da Organização Mundial de Saúde doenças respiratórias representam hoje a terceira causa de morte no mundo, o que é de fato preocupante. De acordo com a Doutora Maura Neves médica otorrinolaringologista do Hospital Universitário da USP essas doenças são em sua maioria agravadas pelo tempo seco e pela poluição atmosférica. Dados apontam que 40 cidades do Brasil estão entre as 1.600 listadas pela OMS que ultrapassam o limite de poluição recomendado pela Organização que é de 50 microgramas de partículas por metro cúbico de ar por dia.
   Os estados brasileiros mais afetados pela poluição são: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo e Bahia. Os especialistas indicam como método para minimizar os problemas causados hidratação diária das mucosas, isso pode diminuir consideravelmente as chance de desenvolver doenças respiratórias. Segundo a Dra. Maura a mucosa nasal é a primeira barreira contra agentes nocivos que inalamos e a defesa exercida por ela é dependente do grau de hidratação, e afirma que o uso de hidratante nasal pode ajudar na prevenção de gripes, resfriados, renites e sangramento, seu uso é recomentado pelo menos 3 vezes ao dia ou pode varias de acordo com a necessidade.
   Recomenda-se hidratantes que contenham álcool na formulação, e a otorrinolaringologista indica a utilização de hidratantes nasais a base de Ringer Lactato cuja composição mais se aproxima da concentração de sais da mucosa nasal sendo a mais fisiológica para o nariz, ela tem alto poder hidratante e proporciona conforto nasal sem ardência. 

   De acordo com o portal da ANVISA a solução de Ringer com Lactato é composta de cloreto de sódio, cloreto de cálcio, cloreto de potássio e lactato de sódio, diluídos em água para injeção. E exceto pela presença de lactato e pela ausência de bicarbonato, a composição dessa solução aproxima-se muito da composição dos líquidos extracelulares.


Fontes: 
http://www.guiadafarmacia.com.br/  
http://portal.anvisa.gov.br/ 
http://www.producao.usp.br/bitstream/handle/BDPI/40293/S1806-37132012000500015.pdf?sequence=1 

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Novembro Azul, conscientizar salva vidas!



Novembro Azul, conscientizar salva vidas!



O mês de novembro é dedicado ao cuidado da saúde do Homem, uma vez que estes são velhos negligentes já conhecidos. Especificamente dia 17 de novembro é o dia mundial de combate contra o câncer de próstata por isso o mês se tornou um período de luta para o combate dessa doença que quando diagnóstica a tempo se tem grandes chances de cura.
A próstata é uma glândula masculina, que se encontra abaixo da bexiga, e envolve a uretra, por isso um dos principais sintomas do câncer é a dificuldade de urinar.
Existem dois exames indicados que avaliam o estado da próstata que são: o PSA (antígeno prostático específico), onde se procura dosar uma proteína que a próstata produz, e que quando esta aumenta indica alteração prostática; e o toque retal, no qual através de palpação o médico percebe alteração de tamanho da glândula.
O toque retal é um exame importante para o diagnóstico e o exame de sangue não o substitui. Só que há uma barreira psicológica muito grande nos homens em geral, devido à idéia de que o exame fere a masculinidade. Dessa forma o principal objetivo é conscientizar a população em geral do exame e da importância do exame.
É indicado que todo homem a partir dos 45 anos de idade faça anualmente os exames, principalmente se este possui na família pessoas que tiveram a  doença.
O tratamento vai depender do estágio em que o tumor se encontra, e pode compreender radioterapia, cirurgia ou tratamento hormonal. É importante lembrar que todo o tratamento é disponibilizado pelo SUS.
Nesse mês o NAFAU se veste de azul, e se compromete com a disseminação de informações sobre a Saúde do Homem como um todo, principalmente olhando para o câncer de próstata como um desafio de quebrar os preconceitos existentes na sociedade!
CUIDAR DA SAÚDE TAMBÉM É COISA DE HOMEM!


Referencias:


terça-feira, 1 de novembro de 2016

O que precisamos saber sobre o Hipotireoidismo ?



O hipotireoidismo é uma disfunção na glândula tireoide que se caracteriza pela diminuição na produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina). Apesar de ser mais comum em mulheres, pode acometer qualquer pessoa, independente de gênero ou idade, até mesmo recém-nascidos.  

Quais os sintomas ?

Entre os sintomas do hipotireoidismo estão:
- Depressão
- Aumento do colesterol no sangue
- Queda de cabelo- Bradicardia 
- Intestino preso
- Diminuição da memória
- Cansaço excessivo
- Dores musculares
- Sonolência excessiva
- Pele seca 

O que causa? 

Na maioria das vezes, o hipotireoidismo é causado por uma inflamação denominada Tireoidite de Hashimoto, uma disfunção autoimune. Em consequência, o organismo produz anticorpos que lesam a tireoide, diminuindo sua capacidade de produzir hormônios. 

Qual o tratamento?


O tratamento do hipotireoidismo é feito com o uso diário de levotiroxina, na dosagem prescrita pelo médico. A levotiroxina deve ser tomada em jejum todos os dias, pois a ingestão de alimentos pode afetar sua absorção. Usando a medicação regularmente, e assim mantendo os níveis normais de TSH , os portadores de Hipotireoidismo  pode levar uma vida saudável e normal.


 Se o hipotireoidismo não for corretamente tratado, pode levar a redução da performance física e mental, além de elevar os níveis de colesterol, que aumentam as chances de problemas cardíacos.

Referências 

http://www.endocrino.org.br/hipotireoidismo-sintomas/
http://www.endocrino.org.br/10-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-hipotireoidismo/
http://www.endocrino.org.br/hipotireoidismo-sintomas-e-causas/

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Medicamento semanal para Diabetes tipo 2 é lançado


No Brasil, cerca de 8,1% da população vive com a doença.


Uma terapia semanal para o tratamento da Diabetes tipo 2 agora está disponível no Brasil. O Trulicity, uma caneta que injeta o medicamento dulaglutida, da farmacêutica Lilly, já estava presente em dez países, entre eles EUA, Inglaterra, Japão e México.

A dulaglutida é uma substância que tem o efeito análogo ao hormônio GLP-1, que estimula o organismo a liberar insulina, hormônio que regula os níveis de glicose no sangue. Além disso, atrasa o esvaziamento do estômago.

No Brasil, cerca de 8,1% da população vive com a doença, o equivalente a aproximadamente 16 milhões de pessoas.

O funcionamento do medicamento é semelhante ao do Victoza, Liraglutida, que necessita de aplicações diárias.

A dulaglutida, em caixa com duas canetas, pode ser encontrado por valores próximos a R$ 230,00. A Liraglutida pode ser encontrada a partir de R$ 375,00.


http://m.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2016/10/1822060-medicamento-semanal-para-diabetes-tipo-2-e-lancado.shtml?mobile


quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Unicamp desenvolve colírio para evitar perda de visão em diabéticos




Em São Paulo, um grupo de pesquisadores das faculdades de Ciências Médicas (FCM) e de Engenharia Química da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) desenvolveu um colírio para prevenção e combate da Retinopatia Diabética.

De acordo com a Jacqueline Mendonça Lopes de Faria (Pesquisadora da FCM), o fato de não ser invasivo é uma grande vantagem desse achado. Por ser tópico gera uma barreira contra as alterações neurodegenerativas que afetam os diabéticos. A cientista disse também que a descoberta foi feita a partir de uma pesquisa que já dura cerca de duas décadas.

A pesquisadora afirma ainda que vários orgãos podem ser comprometidos por causa da hiperglicemia. Em cerca de 40% dos casos, o diabetes leva a complicações na retina provocadas pelo efeito tóxico da glicose. O sistema nervoso e vascular da retina passam a ter alterações progressivas que podem levar à cegueira.

Na atualidade, o tratamento da retinopatia diabética é feito com fotocoagulação com laser,injeções intravítrea ou mesmo cirurgia (todos métodos invasivos). A expectativa dos pesquisadores é que além de servir para cura da retinopatia diabética a tecnologia dessa descoberta possa ser benéfica a outras anomalias da visão.

Os laboratórios da Unicamp comprovaram a eficácia da fórmula. No entanto, antes de ser transformado em medicamento para distribuição e comercialização, o colírio tem de ser submetido à fase clínica de testes, com ensaios em seres humanos. No teste com roedores, não foram observados efeitos adversos e o colírio mostrou-se eficaz na proteção do sistema nervoso da retina.

http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2016/10/10/unicamp-desenvolve-colirio-para-evitar-perda-de-visao-em-diabeticos.htm